Embaralhado

Sempre achou lindo quando alguém cheio de truques embaralhava as cartas do baralho, ficava sentada observando como fazia e nunca conseguiu fazer nada daquilo, suas habilidades não permitiam tal ação.
Da mesma forma era com os seus sentimentos e relacionamentos, simplesmente não sabia embaralhar. O que ela sentia era único e exclusivo, não dava para ser misturado entre outras cartas, outras opções, aquilo não era um jogo onde truques e cartas marcadas facilitam as coisas.
Sabia o que sentia, sabia que do outro lado o sentimento era diferente e mesmo assim não suportava a idéia de tratar aquilo como cartas de um jogo. Não se disputa sentimento, não se descarta e nem escolhe na sorte das cartas. Sentimento a gente nutre, a gente escolhe e a gente conquista aos poucos.
Dentre poucas coisas que tinha certeza uma delas era que seu sentimento não estava sendo embaralhado e misturado entre outras cartas. Aquilo não era um jogo de baralho. Aquilo era o mais puro e intenso amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s