Copan vira filme que será exibido no MIS

Estamos felizes em anunciar que fazemos parte de mais um documentário sobre o Copan.

Nossa fundadora, PollyMariah, é uma das protagonistas do Copan 60 Horas, que mostra a rotina no histórico edifício do centro. Entre as cenas de destaque estão as de meditação de monges budistas no heliponto e as que exibem entrevistas com alunos e professores de arquitetura, oriundos de várias regiões do Brasil, moradores do prédio.

O roteiro e a direção são da jornalista Cristina Aragão, editora da GloboNews, que alugou uma quitinete no 18º andar do bloco B para a produção. Concebido por Oscar Niemeyer e inaugurado em 1966, o Copan é um ícone da arquitetura modernista brasileira e estende- se pela Avenida Ipiranga, próximo à Praça da República.

Pra ficar com água na boca, a gente compartilha um dos teasers que já estão rolando entre os comerciais da emissora. Para assistir, clica aqui.

O DOC vai ao ar dia 8 de abril, às 21, no GloboNews. A pré estreia para convidados acontece dia 5 no MIS.

Sobre o Copan:

Seu projeto inicial contemplava um complexo residencial de 900 apartamentos, uma galeria comercial com teatro e cinema e uma torre anexa que deveria abrigar um hotel com 600 quartos. O plano foi reformulado por falta de recursos da Companhia Nacional de Indústria da Construção, a então responsável pela obra.

Hoje, seis blocos abrigam 1 160 apartamentos e há 104 funcionários para administrar os 35 andares. Além dos 5 000 moradores, o local é frequentado por pessoas que visitam lojas, bares e restaurantes.

O bom filho a casa torna

14225402_10154453575904754_7942510183535117200_n

Quando me despedi do Copan 3 anos atrás para morar na Inglaterra um dos porteiros me disse tchau dizendo “você pode sair do Copan, mas o Copan jamais sai de você”. Na hora aquilo me pareceu mais um dos clichês de se morar em um edifício gigante no centro de SP.

Daí, fui alcançar novos voos na Europa, era para ser um ano e se tornou dois. Mas, um ano atrás chegou a hora de voltar ao Brasil e de repente aquela frase que se parecia um simples clichê de um porteiro bem-querido fez sentido. Continuar lendo “O bom filho a casa torna”

(quase) Voltando Copan

copan

Foram dois anos longe, dois anos tentando de longe manter de alguma forma o blog andando.

Me frustrei, não consegui.

Não consegui porque escrever sobre o Copan é mais do que apenas imaginar histórias, é viver diariamente lá. É andar pelos corredores amarelos do bloco B com medo de encontrar um fantasma, é ouvir os vizinhos cantando no chuveiro, é ter os porteiros como amigo e correr para eles em dias de insônia. Continuar lendo “(quase) Voltando Copan”