Bem-vindo ao Bride at Copan Building

Além de meu amigo e @paidobenjamin, o bebê mais lindo do mundo, Sam Murakammi é artista e design criativo de moda. Na realidade ele é um apaixonado por noivas.

E vem conquistando o Brasil ao eternizar em Barbies o dia mais importante das noivas. Com um técnica impecável, ele consegue reproduzir com tamanha perfeição e ricos detalhes, todo o look da noiva, desde o sapato, brincos, buquê, penteado, maquiagem até o tão sonhado vestido de noiva. E tudo isso, feito à mão!

Esse fim de semana, ele aproveitou um dos brises de casa para uma série fotográfica intitulada “Bride at Copan Building” de umas de suas réplicas e o resultado ficou incrível. Confira:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dá até vontade de casar, né?  Para quem deseja ter um mimo deste basta entrar em contato direto com o Sam ou com a Marlise,  certeza que ele terá o maior prazer de eternizar seu vestido de noiva!

Ah, e aproveita para seguir ele no Instagram. As fotos são sempre incríveis =)

Para falar com ele, o email é sammurakammidolls@gmail.com

 

 

Depois de muitos casamentos e nenhum funeral: algumas confissões

O que todo mundo está cansado de saber é que eu duvido muito que um dia eu mesma vá me casar. Repito esse clichê enorme quase que todo dia e quanto mais digo isso mais acredito que talvez eu esteja errada.

Sei que devo passar a impressão errada para todo mundo, então pensei: “Poxa, talvez seja o momento da confissão e de explicação de uma questão bem importante”.

Não é a toa que tenho um blog que entre muitos assuntos fala (e muito) sobre casamentos, não é por curiosidade que passo boa parte do meu tempo livre caçando e compartilhando vídeos de casamentos alheios. Não é que não queira me casar – eu adoraria, óbvio. Apenas não acho que isso vá acontecer. Porque vamos encarar o fato que estou para compromisso assim como Preta Gil está para o manequim 36. Simplesmente não cabe!

Fato que – muito preocupante por sinal – estou chegando à idade crítica dos 30 anos e posso dizer que cultivei muitas paixões e amei apenas uma pessoa, que me presenteou com um enredo de mentiras e uma traição horrenda, o suficiente para jamais conseguir ficar com alguém por mais de três meses.

Admitir isso é engraçado e assustador (meu terapeuta vai ficar orgulhoso!), mas é engraçado que conheço muita gente que acha isso motivo para comemorar, pensam que minha incapacidade de me prender a alguém me deixa nova, livre e inteiramente liberada. Em parte todas elas tem razão, ser solteira e dona de si é bom demais (D E M A I S !) mas não é assim que me sinto.

De repente você se vê desejando atravessar um tapete vermelho e dizer SIM para alguém. Indo para o trabalho você sente desejo de pensar que a toalha molhada em cima da cama vai estragar o edredom. Quer chegar em casa e ter a certeza de que alguém está lá esperando o jantar ficar pronto, quer ter alguém para acordar de madrugada para pedir um copo d’água. Fica cobiçando o filho dos outros e anseia por um barrigão enorme e por uma gestação de gêmeos. Bobeiras dramáticas, sonhos clichês, desejos ridículos. Sim, é tudo isso, mas é o que ando desejando um pouco a cada dia.

Se sei como quero meu casamento? Claro que sei. Toda mulher sabe. Tenho meu vestido trancado em um backup do meu computador, sei que não quero uma cerimônia tradicional, tenho rascunhos de músicas, decoração, save the date, scrapbook e todos os outros milhões de clichês que toda mulherzinha tem ao imaginar seu casamento.

Com o tempo você descobre que ser independente, ter sua casa, um trabalho bem sucedido, fazer o que quer quando quer, é (mesmo que soe poderoso e seja desejo de muita gente por aí)  egoísta e sem graça demais. E vamos deixar outro fato bem claro: Não estou desesperada! Entenda, apenas estou confessando que amar alguém só pode fazer bem e estou apenas assumindo que eu quero me casar… um dia!

P.S: Análises de candidatos a possível cargo de noivo estarão abertas após publicação desta confissão. CV’s podem ser enviados em 140 caracteres via Twitter. Perfis do Facebook também serão aceitos. Há há há !

Santa tecnologia

– Alô mãe, tudo bem? To ligando pra dizer que vou casar.
– Cocomo assim, minha filha?
– Ué mãe, casando.
– Mas casar, de casar?
– É mãe, casar de casar, com festa, véu, grinalda, lembrancinha …
– E o noivo, eu e seu pai nem sabíamos que existia um noivo.
– Ah mãe não se preocupa, o Dico é lindo, vocês vão adorar.
– Dico? Seu pai vai surtar.
– Mãe só tem um problema.
– Ah é, então me diz minha filha…
– O casamento é amanhã a noite, sei que deveria avisar antes, mas você sabe né, organizar tudo consome um certo tempo e bom, só consegui te ligar agora.
– Ah claro, eu entendo filha. Bom, fica meio complicado eu e seu pai irmos, já que vamos ter que atravessar o oceano e chegar aí na África.
– Poxa mãe, vou dar um jeito. Ah, já sei você pode assistir pela internet.Vai ser lindo, mãe.
– Ah claro, bendita seja a tecnologia. Vou avisar seu pai.
– Tá bom, mãe, eu preciso desligar, vou para minha despedida de solteira.
– Ok, filha. Eu vou acordar seu pai para contar que filha vai casar na África e que vamos assistir tudo pela internet. Alias, que tipo de roupa devo vestir?
– Para mãe, também não precisa ser tão irônica, né. Emfim, preciso desligar. Te amo, mãe.
– Eu também filha, te vejo amanhã atravessando a nave de igreja. Ve se consegue uma definição boa, hein. Quero ver os detalhes do seu vestido e a cara do seu noivo.
– Tá bom, providenciarei isso. Tchau.
– ANTONIOOOOOOOOOOOOOOO, acorda! Sua filha vai casar amanhã e vamos assistir tudo pela internet, não é emocionante? Bendita seja a tecnologia !

Proclames

Ok, eu confesso. Eu tenho a péssima mania de ler toda quarta feira os proclames de casamento do jornal. Tudo bem, sei que existe uma teoria que o fim de toda solteirona é esse, descobrir os próximos casamentos da cidade, mas no meu caso é diferente.
Eu leio porque gosto de imaginar a situação de cada um. Por exemplo, o que leva uma menina de 16 anos casar com um cara de 36? Porque casar tão nova? Quando leio cada proclame tento imaginar a vida do casal, fico pensando se eles têm realmente noção do que estão fazendo. O que será que passa na cabeça deles? MeuDeus, eles devem estar felizes demais….
Para ser sincera acho que leio o proclame toda quarta porque ainda tenho a forte esperança de um dia encontrar o meu nome impresso naquele lugar e talvez o fato de pegar o jornal toda quarta para imaginar a história de cada casal, seja uma forma de eu auto afirmar que ainda tenho chance de ter alguém que queria passar o resto da vida do meu lado.